Novidades
Biblioteca
Fibrenamics e Tearfil desenvolvem fio inovador para equipamentos de proteção individual reutilizáveis

25 jan 2022Notícias

Fibrenamics e Tearfil desenvolvem fio inovador para equipamentos de proteção individual reutilizáveis

Fibrenamics e Tearfil desenvolvem fio inovador para equipamentos de proteção individual reutilizáveis

Fibrenamics e Tearfil desenvolvem fio inovador para equipamentos de proteção individual reutilizáveis

A Associação Fibrenamics e a empresa Tearfil, desenvolveram um fio inovador para equipamentos de proteção individual capazes de serem reutilizados.

Face à atual pandemia provocada pela Covid-19, a Fibrenamics – Universidade do Minho e a empresa Tearfil, uniram esforços no sentido de desenvolverem um fio inovador capaz de conceber propriedades chave aos equipamentos de proteção individual (ex.: máscaras e batas) e, simultaneamente, permitir a sua reutilização.

De nome Cov_Yarn, este projeto empenhou-se na produção de fios por tecnologias de fiação de fibras curtas naturais e sintéticas aditivadas com óxidos metálicos.

Esta abordagem permitiu, assim, o desenvolvimento de fios multifuncionais que, após serem convertidos em máscaras e batas, para além de apresentarem propriedades favoráveis ao nível do conforto, também apresentaram uma forte atividade antibacteriana e antivírica, permitindo ainda a sua reutilização, após a sua utilização pelo consumidor.

cov_yarn-tearfil-fibrenamics-equipamentos-de-protecao-individual

Figura 1 - Diferentes etapas do fio multifuncional produzido.

Artigos Relacionados

Antena 1 realça The Good Bottle, projeto da Fibrenamics

24 fev 2022Clipping

Antena 1 realça The Good Bottle, projeto da Fibrenamics

Em exclusivo ao programa 90 Segundos de Ciência da Antena 1, João Bessa abordou o projeto The Good Bottle, da Fibrenamics.

Ler mais
A Fibrenamics Green cria produtos do lixo industrial. E a Comissão Europeia sabe disso

13 out 2020Clipping

A Fibrenamics Green cria produtos do lixo industrial. E a Comissão Europeia sabe disso

Uma plataforma que junta a Universidade do Minho a 100 empresas garantiu o acesso aos finalistas do prémio Regiostars. Solas de sapato produzidas com polímeros que ninguém quer, revestimentos térmicos feitos de detritos de têxteis, e fachadas que reaproveitam minerais figuram entre os projetos que já angariaram 2,5 milhões de investimento.

Ler mais

Cookies

A Fibrenamics utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e para fins estatísticos. A continuação da utilização deste website e serviços pressupõe a aceitação da utilização de cookies. Política de cookies.